conecte-se conosco


Política Nacional

Ex-presidente do Senado comemora cassação e defende que Selma use tornozeleira

Publicado

Renan Calheiros criticou solidariedade de Jorge Kajuru e deu lição de moral em senadora de MT, cassada pelo TRE na última quarta,

renan-selma.jpg

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) cobrou que o Ministério Público Federal (MPF) “exija” a responsabilidade criminal da senadora cassada de Mato Grosso, Selma Arruda (PSL-MT), incluindo a utilização de “tornozeleira”. A parlamentar, empossada há apenas 2 meses no cargo, teve o mandato cassado na última quarta-feira (10) em julgamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT), mas continua no exercício do cargo até julgamento do recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Renan “cobrou” o MPF por meio de uma postagem no Twitter publicada na última quinta-feira (11). Ele comentou a manifestação do também senador Jorge Kajuru (PSB-GO), que utilizou a rede social para “prestar solidariedade” à Selma Arruda.

“Tenho visão diferente do senador Kajuru sobre a senadora Selma. Contra fatos não há argumentos. Se o MPF não exigir a responsabilidade criminal, em havendo recurso, a senadora vai continuar no mandato, em liberdade, sem tornozeleira e ainda querendo investigar STF e STJ”, diz o post.

Leia mais:  Senador defende secretário denunciado pelo MPF: "não é condenação"

Renan Calheiros faz referência a chamada “CPI da Lava Toga”, proposta pelo senador Alessandro Vieira (PPS-SE), e que tem o objetivo de investigar “condutas ímprobas, desvios operacionais e violações éticas por parte de membros do Supremo Tribunal Federal e de Tribunais Superiores do País”.

A proposta vem encontrando resistência dos próprios senadores, que não conseguem aprovar o requerimento para início das investigações. Selma Arruda foi uma das parlamentares que votaram a favor da instalação da CPI no último dia 10 de abril, porém, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) determinou o arquivamento da representação por 19 votos a 7. Renan Calheiros também é contra a CPI.

Já o senador Jorge Kajuru, que ao lado de Selma Arruda votou a favor da instalação da CPI, postou no Twitter ainda na quarta-feira que a cassação da senadora foi uma “abismal injustiça”, e comentou em outra postagem que tinha conversado com a parlamentar.

“Acabo de falar com a honrada senadora @SenadoraSelma e lhe ofereci apoio e solidariedade totais! Sei que os 7 votos foram de Gilmar Mendes do mesmo Mato Grosso. O TSE lhe fará justiça amiga do bem!!!”, disse Kajuru.

Leia mais:  Rodrigo Maia diz que vai blindar a Câmara de crises

Selma Arruda foi cassada por 7 votos a 0 em julgamento do TRE-MT sobre uma representação que apontou que ela gastou R$ 1,2 milhão em sua campanha vitoriosa ao Senado em 2018. Os recursos não foram declarados e teriam sido utilizados em período proibido pela Justiça Eleitoral – o que configura a prática de “Caixa 2”, além de abuso de poder econômico. O órgão também já reprovou as contas da parlamentar.

Selma Arruda disputou pela primeira vez uma eleição em 2018 após se aposentar como juíza de Mato Grosso (TJ-MT) em março do mesmo ano. Ela obteve 678.542 votos.

renancalheiros.jpg

FONTE:FOLHA MAX

publicidade

Política Nacional

Bolsonaro afirma que preço da carne irá “voltar à normalidade

Publicado

Segundo Bolsonaro, preços deverão se estabilizar nos próximos meses


Bolsonaro liga para presidente uruguaio eleito e confirma ida à posse – (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

presidente Jair Bolsonaro informou nesta quinta-feira (28) ter conversado, por telefone, com o presidente eleito do Uruguai, Luís Lacalle Pou, que obteve a maioria dos votos nas eleições presidenciais. Após a revisão dos votos do pleito, realizado no último domingo (24), Lacalle venceu em uma disputa muito acirrada contra Daniel Martínez, candidato da coalizão de esquerda (Frente Ampla), que governa o país há 15 anos.

“Foi uma conversa bastante saudável, amiga. Ele é conservador, é de direita, tem um programa muito parecido com o nosso. A posse dele é em 1º de março do ano que vem, já confirmei a minha presença. Convidei para estar no Brasil também”, disse o presidente durante sua live semanal transmitida no Facebook.

Bolsonaro ressaltou ainda a lisura do processo eleitoral no país vizinho. “Parabéns ao povo uruguaio por essas eleições democráticas, limpas, que escolheram o Lacalle como presidente da República”.

Leia mais:  Forma de governar não agrada grupos do passado, diz Bolsonaro

O presidente também usou o twitter para falar sobre o assunto:

– Por telefone, parabenizei o Presidente eleito do Uruguai, Luis Lacalle Pou, pela sua histórica vitória nas urnas. Confirmei minha presença em sua posse e o mesmo também confirmou que brevemente nos visitará.

Preço da carne

Durante a live, Bolsonaro comentou sobre o aumento do preço da carne bovina no país. Segundo ele, houve aumento da demanda por exportação e os preços internos subiram, mas deverão se estabilizar nos próximos meses.

“Pessoal está reclamando do preço da carne, com razão. Subiu [o preço]. A nossa andança pelo mundo, o mundo começou a comprar mais da gente, começa a vender mais, tem menos para botar na prateleira, infelizmente isso acontece, mas conversei isso hoje com a ministra Tereza Crisitina, ela acha que em três ou quatro meses volta à normalidade”, afirmou.

O presidente ainda negou tomar qualquer medida para interferir no preço do produto. “Não posso querer tabelar o preço da carne. não posso fazer isso aí, não vou fazer. Nossa política é de mercado aberto”.

Leia mais:  Com crise no PSL, Bolsonaro recorre a aliados da 'velha política'

No fechamento de novembro, o aumento nos preços da carne bovina desossada no mercado atacadista foi de 22,9% na média de todos os cortes pesquisados, de acordo com a Scot Consultoria.

Já os preços da carne bovina vendida em supermercados e açougues de São Paulo registraram uma alta de 8%, na média de todos os cortes, segundo a consultoria. No Paraná a alta também foi consistente, 3,5%. Já no Rio de Janeiro e em Minas Gerais as variações foram mais tímidas, de 0,2% e 1%, respectivamente.

FONTE:REDE TV

Continue lendo

Política Nacional

Deputada quer proibir danças obscenas e vulgares dentro das escolas

Publicado

Clarissa Tércio considera que danças promovem erotização precoce.

Clarissa Tércio (Foto: Evane Manço/Alepe)

A deputada estadual Clarissa Tércio (PSC-PE), usou o Facebook para anunciar a apresentação de um projeto que proíbe danças com coreografias obscenas e vulgares dentro das escolas de Pernambuco.

Integrante da bancada evangélica da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), a deputada afirmou que seu objetivo é a “proteção às nossas crianças e adolescentes no âmbito escolar”.

“É inadmissível que o espaço escolar seja utilizado para coreografias obscenas e vulgares, tirando, assim, a inocência das nossas crianças e dos nossos adolescentes!”, comentou no Facebook.

O uso de danças com coreografias vulgares dentro do ambiente escolar tem se tornado comum.

Vídeos nas redes sociais mostram crianças e adolescentes dançando ao som de funk com palavrões e linguagem pejorativa.

A deputada explica que a erotização precoce é um dos fatores responsáveis pelo crescimento da violação da dignidade sexual das mulheres.

Assista:

FONTE:GOSPEL PRIME

Leia mais:  Embargo dos EUA contra Irã afeta empresas brasileiras, diz Bolsonaro
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

SÃO FELIX DO ARAGUAIA

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

MULHER

Mais Lidas da Semana