“Acho que está chovendo lá. Isso não ajuda o único gramado que todos nós vamos jogar. Organização sensacional, todos os jogos em um gramado. Vamos ver como esse único gramado vai estar”, disse o técnico, após a organização mudar o palco que receberia os prováveis dois jogos do Liverpool às vésperas do início do Mundial.

Inicialmente, o Liverpool estrearia – na próxima quarta-feira (18), contra o Monterrey-MEX – no Education City Stadium, mesmo estádio onde aconteceria a final. Há pouco mais de uma semana, porém, a Fifa anunciou que os jogos aconteceriam no Estádio Internacional Khalifa.

É exatamente nesse estádio que o Flamengotambém jogará sua primeira partida no Mundial, na próxima terça, às 14h30 (de Brasília), contra o Al Hilal, da Arábia Saudita.

Leia mais:  Ex-Barça e City, Yaya Touré anuncia aposentadoria do futebol aos 35 anos

A condição do palco catari, aliás, não foi a única reclamação de Klopp, que também esbravejou contra o calendário do Liverpool, que faz jogo na véspera da estreia no Mundial na Inglaterra, contra o Aston Villa, pela Copa da Liga Inglesa – o time jogará com uma equipe alternativa.

“Se nós não fossemos para o Catar nós jogaríamos no meio de semana contra o Aston Villa e depois contra o West Ham, certo? A única diferença é que voamos sete horas e é mais quente.”

Para a viagem do Mundial, Klopp, inclusive, perdeu o zagueiro Dejan Lovren, lesionado. Georginio Wijnaldum também se machucou no sábado, mas viajou com o Liverpool para o Catar. “Nosso elenco não está ficando maior. Claro que isso não é bom. Mas seria o mesmo problema se fossemos jogar contra o Villa e jogasse as quartas de final da Copa da Liga”, encerrou.