conecte-se conosco


Nacional

Passarela que custou R$ 800 mil é construída em rua sem saída

Publicado

Obra foi pedido de ex-vereador João Derosso ao ex-prefeito de Curitiba. ‘Foi colocado o carro diante dos bois’, afirmou atual presidente do IPPUC.

Uma passarela que liga a Rua Francisco Derosso até um centro poliesportivo, no bairro Xaxim, em Curitiba, foi construída em uma rua sem saída. A prefeitura informou que a obra, que custou quase R$ 800 mil, foi um pedido do ex-vereador João Cláudio Derroso atendido pelo ex-prefeito Luciano Ducci. O centro poliesportivo, que tem um ginásio coberto, foi inaugurado no fim de 2012 e será utilizado pela comunidade, porém, ele ainda não começou a funcionar.

O atual presidente do Ippuc, Sérgio Pires, explicou que existem critérios para colocar qualquer passarela na cidade. “A gente tem que falar em números de pessoas que vão atravessar [a passarela], questões ligadas à segurança e qual tipo de tráfego vai existir”, disse. Ele também afirmou que não há nenhum critério técnico que justifique a obra. “Foi colocado o carro diante dos bois. Pode ser que passarela não fosse necessária em um futuro próximo”, finalizou.

Leia mais:  Filha volta com bolo de escola e postagem de mãe viraliza

Em nota, a assessoria de imprensa de Ducci disse que existe um desnível de quase quatro metros entre o terreno da escola e o ginásio de esportes. De acordo com a nota, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) fez um estudo detalhado e optou pela passarela para resolver o problema de forma definitiva, já que existe previsão de abertura de uma rua sob a passarela, que atende de forma segura os alunos e a população da região. Ainda conforme a nota da assessoria de imprensa do ex-prefeito, se uma rampa de cimento tivesse sido construída, precisaria ser demolida com a abertura da rua.

O ex-vereador João Cláudio Derosso disse ao G1 que existe o projeto da construção de uma rua paralela à Rua Francisco Derosso, que vai da Rua Waldemar Loureiro Campos até a Linha Verde. “Foi discutido na época em que a secretária de educação municipal era a Eleonora Fruet [irmã do atual prefeito Gustavo Fruet]. A ideia da passarela era para que as crianças da escola não atravessem a rápida [que ainda não foi construída]. Espero que o Gustavo [Fruet] termine o projeto e, assim, evite que as pessoas cruzem e sejam atropeladas”.

Leia mais:  Pastor mata outro pastor a facadas após discussão sobre a Bíblia

Fonte:G1 PR

publicidade

Nacional

Paciente é amarrado e arrastado em clínica de reabilitação no Distrito Federal; veja video

Publicado

Paciente é amarrado e arrastado em clínica de reabilitação no Distrito Federal

 

Um paciente com cerca de 30 anos foi amarrado e arrastado no chão em uma clínica de reabilitação que abriga dependentes químicos na zona rural de Planaltina, no Distrito Federal. O caso, que aconteceu na última semana, foi registrado e divulgado nas redes sociais nesta quarta-feira (24), causando indignação.
FONTE: MIDIA NEWS

Leia mais:  Pastor mata outro pastor a facadas após discussão sobre a Bíblia
Continue lendo

Nacional

Líder religioso é suspeito de abusar sexualmente de jovens em grupo católico

Publicado

Elithon

Rapaz de 30 anos foi indiciado pela Polícia Civil por dois estupros qualificados. Ele se aproveitava de conhecimento para cometer os abusos sexuais

As investigações da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) sobre o caso do rapaz suspeito de abusar sexualmente de jovens em um grupo de jovens católico no Gama mostraram que muitos ataques aconteciam enquanto as vítimas dormiam. Ele se aproveitava do conhecimento religioso e de encontros para agir.

Elithon Carlito Silva Pereira, 30 anos, foi indiciado dois estupros qualificados. Entretanto, a polícia chegou a receber a denúncia de 12 jovens entre 14 e 21 anos e levou em consideração o testemunho de 11 deles. No total, a equipe da 20ª DP (Gama) conversou com cerca de 30 pessoas.

“Os jovens acreditavam muito nele, pois tinha curso de filosofia e teologia”, explicou o delegado Renato Martins, da 20ª DP. Os crimes teriam começado em 2017. De acordo com a PCDF, o rapaz pregava que Jesus Cristo era homossexual e dava conotação religiosa para conversas sexuais que mantinha com os jovens que integravam o grupo da igreja.

O suspeito usaria o poder e o conhecimento da religião e procurava um momento de vulnerabilidade dos jovens. Tom – como o homem é conhecido na comunidade católica do Distrito Federal – trabalhava como líder de liturgia da Paróquia Nossa Senhora da Aparecida, no Gama. Ele planejava cursos individuais de orientação religiosa apenas para os garotos e dispensava as menina, ignorando-as.

Leia mais:  Líder religioso é suspeito de abusar sexualmente de jovens em grupo católico

A maioria dos abusos contra as vítimas ocorria durante os encontros, sempre na parte da noite. De acordo com o delegado, Tom esperava os rapazes dormirem, depois deitava na mesma cama que eles, se masturbava e tocava os órgãos sexuais das vítimas.

Perfil

As vítimas tiveram narrativas semelhantes e deram aos investigadores informações para traçar o perfil do autor como um homem articulado, meticuloso e detalhista.

“Ele consumou o estupro contra dois adolescentes de 14 anos”, disse o delegado. Esses encontros ganharam o apelido de “reunião dos cuecas”, entre o grupo da igreja, pois só garotos participavam. O autor foi ouvido em duas oportunidades, mas exerceu o direito constitucional de se manter em silêncio.

Elithon responderá em liberdade. A corporação chegou a pedir a prisão preventiva do autor, mas a Justiça indeferiu. A reportagem entrou em contato com ele para comentar as acusações, mas ele não respondeu. O espaço está aberto para manifestações.

O Metrópoles também revelou que o investigado tentou uma vaga no Conselho Tutelar da cidade no último pleito realizado: teve, ao todo, cinco votos (confira na galeria abaixo).

Leia mais:  Pastor mata outro pastor a facadas após discussão sobre a Bíblia

Surpresa

Fiéis da congregação ouvidos pela reportagem relatam que, após a denúncia, Tom deixou o ministério e passou a morar na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no Gama, a convite do padre da igreja.

O delegado esclarece que a igreja foi pega de surpresa. “Era uma pessoa de confiança, que morava em um quartinho lá. Ajudava o padre em várias coisas”, diz Renato Martins. O próprio pároco do templo teria levado Elithon às autoridades policiais: segundo a Arquidiocese de Brasília, o religioso prestou todos os esclarecimentos e tem colaborado com os investigadores.

Em nota, o comando da Igreja Católica na capital repudiou o caso, ressaltou que nem o padre nem sua congregação tem relações com os supostos crimes, e afirmou só ter tido conhecimento das denúncias após elas começarem a ser registradas na Polícia Civil.

Também em nota, o Ministério Vida e Luz, do qual Tom fazia parte, confirmou ter tomado conhecimento das acusações apresentadas contra o suspeito e pontuou que Elithon está desligado de todas as atividades religiosas.

Ainda no documento, a entidade afirma que aguarda o fim das investigações para se pronunciar. “O ministério coloca-se à disposição das autoridades para qualquer esclarecimento”, diz trecho da nota.

FONTE: RD NEWS

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

SÃO FELIX DO ARAGUAIA

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

MULHER

Mais Lidas da Semana