conecte-se conosco


Política MT

PSB projeta grupo alternativo ao Senado para acabar com polarização em MT

Publicado

Max Russi se colocou a disposição e articula aliança com PV e até PSDB

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) deve definir nos próximos dias se apoia algum nome a ser definido dentro algum acordo político ou se lança candidatura própria. A orientação da direção nacional do PSB é que a sigla tenha candidato próprio e o nome do presidente estadual do partido, deputado Max Russi, desponta como o nome natural para a disputa à vaga da senadora cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Selma Arruda (Podemos).

“Tão logo aconteceu esse processo judicial com a senadora, mais de 15 candidatos colocaram o nome. Partidos colocaram nomes, estão analisando essa postulação e sem sombra de dúvida a grande maioria dos partidos deverá lançar nomes e o PSB não deverá ser diferente”, analisou Max Russi, em entrevista ao Jornal da Capital, apresentado na Rádio Capital FM.

“Temos discutido bastante internamente, fomos convidados para algumas reuniões com outros partidos. Participamos, estamos ouvindo bastante, e a direção nacional do partido tem interesse que Mato Grosso tenha um candidato ao Senado e a gente vai definir nos próximos dias”, acrescentou Russi, que é presidente estadual do PSB em Mato Grosso.

Uma dessas reuniões da qual Russi participou foi na última quinta-feira (9) na residência do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB). Além do anfitrião e de Russi participaram da reunião o senador Jayme Campos (DEM), a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM), o ex-governador Júlio Campos (DEM), e os deputados federais Emanuel Pinheiro Neto (PTB) e Neri Geller (PP). Desse grupo, que tem ainda o presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios, Neurilan Fraga, o vereador da Capital Juca do Guaraná Filho (Avante), e de Nilson Leitão (PSDB), que deve se incorporar ao grupo, deve sair o nome de um candidato para a disputa da eleição suplementar ao Senado.

Leia mais:  Comissão especial destaca importância de decisão conjunta para retorno às aulas

“Aqui em Mato Grosso a gente tem feito uma conversa com o PV, participamos também de uma reunião com o prefeito Emanuel Pinheiro, com outro grupo que estão desenhando. O prefeito da Capital e o senador Jayme Campos estão liderando esse projeto”, informou Max Russi. “Tive conversando também com o Nilson [Leitão], que está viajando, enfim, tenho conversado com vários políticos que têm o interesse de colocar o nome, que têm interesse de disputar essa eleição”, acrescentou.

A conversa de Max Russi com o PV de Mato Grosso segue a orientação nacional do PSB, que discute um projeto para o País envolvendo PSB, PV, a Rede e o PDT, que buscam trilhar outro caminho. Em Mato Grosso, nos bastidores já se fala, inclusive, que o PV poderia indicar um dos suplentes de Russi em uma eventual candidatura ao Senado. “Existe essa conversa nacional dos partidos, porque a gente quer e sair um pouquinho deste `nós e eles´, nem tanto a esquerda radical, nem tanto a direita radical, mas sim construir um centro-esquerda, um projeto diferente para o País, essa orientação nacional, que a gente caminhe dessa forma nos estados”, afirmou.

Leia mais:  "Mauro apoiará Pivetta", garante Bezerra

Russi acredita que tenha condições de representar bem Mato Grosso, caso venha a ser definido como candidato à eleição para o Senado. Ele lembrou sua experiência política adquirida em mandatos como vereador, prefeito por duas vezes de Jaciara, como chefe da Casa Civil do Estado e da Assistência Social, na gestão Pedro Taques, e também como deputado estadual, já no segundo mandato.

“Eu particularmente teria orgulho de ser senador pelo meu Estado, estar lá em Brasília defendendo os interesses do Estado no Senado Federal. Teoricamente eu tenho uma bagagem que me daria condições de ser um bom senador, e representar bem meu Estado e conhecendo Mato Grosso da forma que eu conheço. Logico que não é uma eleição fácil, você precisa, sim, ter apoio de um grupo politico, existem várias ações acontecendo”, avaliou. “É uma eleição mais rápida, quem tiver os grandes centros, quem for mais conhecido, enfim, ninguém consegue com clareza afirmar qual vai ser o melhor caminho, o que o eleitor está pensando também, qual vai ser a participação do eleitor”, concluiu.

Fonte: FolhaMax

publicidade

Política MT

Delegado Claudinei sobrevoa áreas do Pantanal mato-grossense atingidas pelas queimadas

Publicado


.

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS / Assessoria de Gabinete

 O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), nesta sexta-feira (14), realizou sobrevoo nas áreas do Pantanal mato-grossense, em Poconé (MT), que foram impactadas por incêndios florestais. Essa agenda foi acertada na última reunião extraordinária da Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), presidida por ele e com a presença do comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBM-MT), coronel Alessandro Borges.

A região do Pantanal já teve mais de 100 mil hectares de área destruída pelas queimadas, sendo que deste total – cerca de 35 mil atingiu uma unidade de conservação. “Este cenário não só impacta as comunidades tradicionais indígenas, ribeirinhos, os animais e a vegetação existente – como interfere nas mudanças climáticas e no ar atmosférico. Estamos em uma situação de alerta”, posiciona Claudinei.

De acordo com Borges, para o combate e repressão às queimadas no Pantanal, o CBM definiu a atuação de 32 militares que ficam 24 horas por dez dias na região. “É um trabalho contínuo. Não é um trabalho que começa agora, em agosto e setembro. No início do ano, é um trabalho forte de prevenção e preparação. No período de chuva, geralmente de janeiro a maio, promovemos atividades preventivas com audiências públicas. No final do ano, é o momento de buscar a reparação dos danos e preparar para um planejamento estratégico para o ano seguinte”, esclareceu o comandante-geral.

Leia mais:  Delegado Claudinei sobrevoa áreas do Pantanal mato-grossense atingidas pelas queimadas

Sobrevoo 

Como presidente da Comissão de Segurança Pública, Delegado Claudinei acompanhou todo o trabalho realizado com a integração dos Corpos de Bombeiros de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Forças Armadas e Marinha do Brasil, Força Aérea Brasileira, Força Nacional de Segurança (FNSP), entre outras importantes instituições. A missão ocorreu na base de apoio para a repressão aos incêndios florestais, localizada no Sesc Pantanal, em Poconé.

“Estávamos juntamente com as equipes do Corpo de Bombeiros, do governo estadual e federal, deputado Elizeu Nascimento (DC), acompanhando a missão deste pessoal. Sobrevoamos o Pantanal e deparamos com focos de incêndios e queimadas. Realmente, é uma situação muito grave e preocupante”, preocupa Claudinei.

Ele explica que a ação é bastante rápida, em que os aviões carregam três mil litros e despejam nas áreas atingidas pelas queimadas. “Já são mais de 70% da área queimada que foram controladas, com este trabalho integrado. Essa operação é muito importante e está salvando o nosso Pantanal mato-grossense. Uma situação muito triste para a fauna, flora e o meio ambiente”, esclarece o parlamentar.

PLC

Neste ano, no dia 26 de maio, Delegado Claudinei apresentou na Assembleia Legislativa, o  Projeto de Lei Complementar  n.º 32/2020 que tem como objetivo acrescentar dispositivo na Lei Complementar n.º 233/2005 para autorizar o órgão ambiental a antecipar o período restritivo ao uso do fogo no estado de Mato Grosso, em situações de calamidade pública e emergências.

Leia mais:  Recesso das atividades administrativas é prorrogado por mais cinco dias

“Infelizmente, não foi possível ter antecipado o período de proibição das queimadas devido o projeto ainda estar em fase de tramitação na Casa de Leis. O Decreto de n.º 638/2020 que se refere ao período proibitivo para as queimadas já entrou em vigor no dia 15 de julho e, infelizmente, vai se estender até o dia 15 de setembro. Neste cenário da pandemia da Covid-19, considero que é preciso prorrogar ainda mais este período, pois evitará a ampliação desta problemática na saúde pública devido ao aumento de doenças respiratórias”, salientou o parlamentar.

Inpe – Conforme levantamento apontado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o bioma Pantanal apresentou uma grande quantidade de focos de incêndio e queimadas, no primeiro semestre deste ano. Os dados assinalam 4,2 mil focos de incêndios e 846,7 mil hectares de área que foram impactadas com as queimadas.

Mato Grosso é considerado um estado brasileiro que conta com três biomas em seu território: Pantanal, Cerrado e Amazônia.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Política MT

Max Russi quer que Estado libere cirurgias eletivas em Mato Grosso

Publicado


.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), encaminhou indicação ao governodo estado solicitando a retomada das cirurgias eletivas, principalmente as ortopédicas, que se encontram suspensas pela Secretaria de Estado de Saúde(SES) desde o dia 17 de março quando foram registrados os primeiros casos de Covid-19, em Mato Grosso. 

“Tais procedimentos foram suspensos há alguns meses, pois os leitos e todos os aparatos médicos precisavam ser direcionados urgentemente ao tratamento de pacientes acometidos pelo coronavírus. Ocorre que, conforme veiculado pela mídia, já não há mais filas por vagas nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e, por isso, as cirurgias devem ser retomadas imediatamente, já que muitos pacientes necessitam urgentemente desse procedimento”, argumentou Max Russi.

No documento encaminhado ao Poder Executivo, com cópia à SES, o parlamentar ainda frisa os danos irreparáveis à saúde da população, causados pela não realização das operações.

O operador de máquinas Carlos Alberto Gonçalves, 58 anos, é uma dessas pessoas que está na fila de espera aguardando por operação de artroplastia do quadril (substituição da articulação da anca por um implante protético). Segundo ele, a solicitação da cirurgia foi feita no mês de maio do ano passado, mas devido à pandemia foi obrigado a aguardar pela retomada dos procedimentos cirúrgicos. Carlos sofreu desgaste da cartilagem do quadril.

Leia mais:  PL propõe a criação do orçamento participativo em MT

“Infelizmente tenho que aguardar.Torço muito para que o deputado Max consiga convencer o governador a voltar atrás e liberar as cirurgias eletivas. A dor que eu sinto é tão forte que nem sei explicar. Tem dias que não consigo colocar meus pés no chão por causa da dor. Hoje, conto com o auxílio da minha esposa até para me levantar da cama e ir ao banheiro. Minha situação é tão delicada que o meu médico me proibiu de pegar um peso de 10 quilos, por exemplo,”, ressaltou Carlos Alberto que se aposentou por invalidez.

Cirurgias suspensas – No dia 17 de março, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou o Memorando Circular 016/2020 adiando as cirurgias eletivas, limitando as visitas aos pacientes internados, além de suspender os procedimentos ambulatoriais. As medidas restritivas envolvem as seguintes unidades de saúde: Metropolitano de Várzea Grande, Regional de Alta Floresta, Cáceres, Colíder, Sorriso, Rondonópolis, Sinop e o Hospital Santa Casa.

Fonte: ALMT

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

SÃO FELIX DO ARAGUAIA

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

MULHER

Mais Lidas da Semana