conecte-se conosco


Saúde

Um treino para emagrecer na menopausa

Publicado

Depois desse período, fica um pouco mais difícil manter a forma. Mas um tipo de atividade física vem ajudar

A queda na produção hormonal típica da menopausa e o envelhecimento em si aceleram a perda de musculatura e o acúmulo de gordura na barriga. Esse processo, no entanto, pode ser contido com sessões na academia. E o chamado sprint interval training (SIT) — ou treinamento de tiros intervalados, em tradução livre — começa a se destacar entre as modalidades.

Em uma pesquisa da Universidade de New South Wales, na Austrália, 20 mulheres experimentaram o método por oito semanas. “Nesse curto espaço de tempo, elas já ganharam massa magra e perderam gordura”, relata a fisiologista Yati Boutcher, responsável pelo achado.

No entanto, é cedo para eleger essa prática como a ideal para a pós-menopausa. O mais importante para manter a forma física é sair do sedentarismo mesmo.

O que é o SIT?

Ele basicamente alterna momentos pegados com outros mais levinhos

Esforço máximo: após um aquecimento, dê tiros bem rápidos de corrida ou bicicleta por aproximadamente 20 a 30 segundos.

Leia mais:  O que é a gordura no fígado? Conheça a esteatose hepática e suas causas

Recupere o fôlego: diferentemente de outros treinos intervalados, este dá mais tempo para o descanso. Baixe o ritmo por 2 a 4 minutos.

E lá vamos nós de novo: repita o processo. A quantidade de repetições varia para cada um.

Fonte:Theo Ruprecht

publicidade

-CORONAVIRUS-

Equador retira 150 corpos de casas; funerárias enfrentam caos por conta da Covid-19

Publicado

Por G1


Equador é um dos países da região com mais casos confirmados e mortes por Covid-19 — Foto: Vicente Gaibor del Pino / Reuters Equador é um dos países da região com mais casos confirmados e mortes por Covid-19 — Foto: Vicente Gaibor del Pino / Reuters

Equador é um dos países da região com mais casos confirmados e mortes por Covid-19 — Foto: Vicente Gaibor del Pino / Reuters

O governo do Equador informou nesta quarta-feira (31) que removeu 150 cadáveres que estavam em várias casas em Guayaquil. A cidade portuária enfrenta um colapso do sistema funerário após o aumento da demanda por conta da pandemia de coronavírus.

As autoridades não confirmaram quantas vítimas da Covid-19 estão entre os 150 mortos retirados em uma força-tarefa conjunta entre a polícia e militares criada pelo governo.

Jorge Wated, porta-voz da ação, disse à agência France Presse que falhas nas equipes de recolhimento dos corpos fizeram com legistas não atendessem rapidamente aos casos. Além disso, o país instaurou um toque de recolher de 15 horas por conta do coronavírus.

Leia mais:  Jejum Intermitente: o que é, como fazer e cardápio

Denúncias em redes sociais

Como resultado, o povo de Guayaquil começou a publicar nas redes sociais vídeos de corpos abandonados nas ruas e mensagens de ajuda de parentes para enterrar seus mortos.

São diversos vídeos e testemunhos sobre pessoas morrendo fora dos hospitais e corpos esperando dias para serem coletados em casa.

“Meu tio morreu em 28 de março e ninguém vem nos ajudar”, disse a equatoriana Jésica Castañeda à rede britânica . “Ligamos para o 911 e nos pediram paciência. O corpo ainda está na cama, onde ele morreu, porque ninguém pode tocá-lo.”

Cidadãos de Guayaquil agora veem corpos pelas calçadas — Foto: Reuters/Vicente Gaibor del Pino

A jornalista Blanca Moncada, do jornal “Expresso”, fez uma série de postagens no Twitter solicitando informações de parentes e vizinhos de pessoas que estão nessa situação.

Blanca Moncada Pesantes@Blankimonki
Ver imagem no Twitter

En este hilo, para ayudar, publicaré a todos los cadáveres a los que no han recogido.

Corpos ficam espalhados nas ruas de Guaiaquil durante a pandemia do novo coronavírus - Jimmy Negrete/EFE

A província de Guayas cuja capital é Guayaquil, concentra 70% dos casos da Covid-19 no Equador, que tem 2.758 infectados e 98 vítimas fatais desde 29 de fevereiro.

Leia mais:  Cardiologista responde: Como o álcool pode prejudicar o coração

FONTE:G1

Continue lendo

-CORONAVIRUS-

Em sessão via teleconferência, deputados cobram investimento na saúde do interior

Publicado

Em sessão via teleconferência, deputados cobram investimento na saúde do interior

Os deputados estaduais de Mato Grosso, principalmente os 10 que não fazem parte da bancada que reside em Cuiabá, cobraram do governador Mauro Mendes (DEM) que os investimentos da saúde também cheguem ao interior, principalmente nesse período de combate ao novo coronavírus.

Leia mais:
Município do interior confirma primeiro caso de coronavírus e mantém 30 sob suspeitas

Os pedidos aconteceram durante o pequeno expediente da sessão matutina desta quarta-feira (1), via teleconferência. Primeiro-secretário da Casa, o deputado Max Russi (PSB) cobrou que medidas emergenciais também cheguem às cidades de Jaciara, Juscimeira, Dom Aquino e São Pedro da Cipa.

“Por enquanto não temos casos de pacientes de coronavírus nessa região, mas é necessário que o governador invista em respiradores, material de EPI, UTIs e remédios para que os profissionais possam trabalhar quando houver o esperado pico da doença no estado. Precisamos agir com urgência, precavendo o fato, para que não sejamos pegos de surpresa. A região do Vale do São Lourenço precisa que o governador olhe por nós”, ponderou o deputado.

Leia mais:  Quanto Menos Você Dorme, Mais Seu Cérebro Envelhece!

O deputado Delegado Claudinei, que é de Rondonópolis (distante 230km de Cuiabá), foi mais além e já indicou à Secretaria de Saúde que compre respiradores e instale Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) para o Hospital Regional da cidade.

“Preciso que o governador olhe pelo povo de Rondonópolis. O povo de lá já está assustado por ter moradores infectados pelo Covid-19, não pode ficar sem leito de UTI, não pode ficar sem EPI. Precisam ser ampliadas as vagas. Precisamos que o Governo nos informe o que será feito para o interior. Região de Cuiabá já sabemos que terá mais de 360 leitos, mas e o interior”, questionou o deputado.

Xuxu Dal Molin (PSC) também insistiu que o governador Mauro Mendes invista no aporte à Saúde Pública na região da BR-163, que vai de Nova Mutum a Sinop. “Já temos casos confirmados nessas cidades e precisamos de novos leitos nessas cidades. O governador precisa fazer esse aporte aos municípios do interior”, concluiu o deputado.

FONTE:OLHAR DIRETO

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

SÃO FELIX DO ARAGUAIA

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

POLÍTICA NACIONAL

ESPORTES

MULHER

Mais Lidas da Semana